semanárioOSM 360

06/06/2017-12/06/2017

Mapeamento

  • François Lacombe publicou uma apresentação sobre o tópico "Mapping of energy distribution networks". (fr)
  • O utilizador Jothirnadh explica como editar um segmento de estrada preservando relações de rota. A sua entrada de diário disponibiliza muitos detalhes e capturas de ecrã claras de cada passo.
  • Michał Brzozowski escreve sobre algumas estatísticas sobre edições MAPS.ME. Salienta que utilizadores experientes corrigem muitos erros de edição, mas dedicam demasiado tempo e recursos que podiam ser aplicados a melhorar o OSM de outra forma. Roland Obricht expressa apreço pelas edições MAPS.ME.
  • Yuri Astrakhan aka nyurik lançou um vídeo sobre o tópico "OSM+Wikidata". Mais informação na wiki.
  • Tijmen Stam sugere a introdução da etiqueta man_made=tunnel equivalente à bastante utilizada man_made=bridge. As respostas são positivas e incluem casos de uso sugeridos.
  • Na Talk-ES o utilizador dcapillae menciona (es) um conflito na Galiza, noroeste de Espanha, quando alguém decidiu "fechar" uma nota. Esta prática é desencorajada por muitos.
  • Vincent Privat sumariou as sugestões do SotMFR relativas a indoor mapping (mapeamento de interiores) num bilhete.

Comunidade

  • A equipa OSGeo-Live procura (DE) um mantenedor para o JOSM e Mapnik, de modo a mantê-los como parte do Live-DVD. Astrid Emde fornece informação detalhada sobre tarefas e carga de trabalho esperada.
    É necessária ajuda adicional para compilar nova documentação baseada em material LearnOSM. É bem-vindo a contribuir, idealmente antes de 3 de julho.
  • Creator13 recolheu um conjunto de erros estranhos no cadastro francês. Apesar destes erros, está contente que a importação tenha evitado uma grandes edições manuais.
  • GOwin compara falhas do OSM e Google Maps em quatro partes do mundo. Identifica a força do OSM no envolvimento comunitário versus a gestão centralizada de mapa, e cita o projeto Kibera como um grande exemplo de manutenção de mapa feito por pessoas locais.
  • PlacesForBikes utilizou dados OSM para comparar redes de ciclovias em 299 cidades dos EUA. A análise pretende identificar se ciclistas podem viajar em segmentos calmos da rede, e chegou a conclusões interessantes.
  • Membros da comunidade russa (ru) viajaram até Tula para mapearem juntos.
  • A análise de redes de ciclovias da People for Bikes deu fraco resultado a Chicago, mas deve-se fortemente ao modelo e pressupostos da análise em si. Ambos dados e análise são abertos: geodados do OSM e Census EUA, enquanto que o código aberto da análise está disponível online.
  • Edward Betts apresenta uma ferramenta para acrescentar etiquetas Wikidata a elementos OSM, e dá um resumo das funcionalidades e de como utilizar.
  • Bryan Housel procura tradutores para o editor iD.

Eventos

  • Na SotM-FR, Michaël Louchin apresentou o LizMap, uma ferramenta integrada para criar mapas utilizando QGIS e publicá-los online.
  • A segunda edição da "l’université d’été développement de logiciel libre et open source (UDOS)" acontecerá de 28 a 30 de junho em Digne-les-Bains, França. Entre outros, há workshops sobre OpenLayers3, LeafletJS e OpenStreetMap com API Overpass. (fr)
  • A Regionalverband Ruhr quer converter o seu trabalho trans-cidade, em parte baseado no OSM, e procura (OSM-wiki) comunicação com a comunidade. Há várias anos que a RVR fornece fotos aéreas de alta resolução para mapeamento.
  • Stefan Keller falará sobre "Using OpenStreetMap for Tourism and Transport“ no Opendata.ch (27 de junho, Luzern, Suíça) na temática "Open Tourism & Transport Data“.
  • Julien Coupey partilha a apresentação sobre Vehicle Routing Open-Source Optimization Machine que fez para o State of the Map France 2017.

OSM Humanitário

  • A Humanitarian OpenStreetMap Team (HOT) assinou recentemente um acordo de cooperação com a International Organization for Migration (IOM), uma agência de migração da ONU. Ambas as organizações acordaram em trabalhar em conjunto em tempos de necessidade, com o compromisso partilhado de defender os direitos e bem estar dos refugiados, comunidades forçadamente deslocadas e migrantes.
  • OpenStreetMap Togo extende (fr) a Open Source Tour ao município de Sotouboua, onde organizou uma introdução ao OSM para agentes de desenvolvimento (associações, ONGs e funcionários públicos).

Mapas

  • "La Dépêche" publicou uma mapa interativo baseado em OSM para mostrar os resultados das eleições parlamentares francesas em cada distrito.
  • Jean-Christophe Becquet apresenta na Talk-FR o projeto Cartosaixy. Principais objetivos: encorajar e animar a contribuição de bens digitais comuns em áreas rurais, valorizando dados livres ao produzir mapas personalizados para as necessidades de pequenos municípios e experimentar com um método inovador de produção de mapas de madeira com uma máquina de corte a laser.
  • Sarah Hoffmann, aka Lonvia, mantenedora do Waymarked Trails, anunciou uma colaboração com OpenTopoMap.

switch2OSM

  • DoorDash atualizou a sua aplicação recentemente e está a utilizar a Mapbox para permitir aos seus clientes localizar transportadores, entregas de comida e muito mais.
  • A NZZ mostra todas as etapas da "tour de Suisse" – baseado em OSM, claro. 😉

Licenças

  • A mailing list OSM-legal responde a uma questão relativa a processamento de dados OSM para cálculo de trajetos numa máquina privada para fins comerciais.
  • Seán Lynch, o criador do OpenLitterMap, pede conselhos à mailing list OSM-legal quanto a termos e condições, e responsabilidade do site no caso de algum utilizador se aleijar ao mapear lixo.

Software

  • A Mapbox Streets suporta agora o português e o arábico, tornando os seus mapas mais acessíveis a 300 milhões de utilizadores de Internet e contribuindo para a Wikidata e OpenStreetMap.

Programação

  • A Qt Automotive Suite (Qt 5.9) tem agora mapas vetoriais (fornecidos pelo plugin Qt Location Mapbox GL) e APIs para navegação, design personalizado e a capacidade de adicionar camadas com os seus próprios dados.

Releases

OSM nos média

  • Ulrich Waltemath criou (de) uma base de dados de paragens de autocarro para o distrito de Harz na Alemanha. Adicionou localizações precisas ao OSM. Concordou, contudo, em partilhar a base de dados (completa com imagens) com a companhia de transportes para uso interno, pelo menos por agora.

Outras coisas “geo”

  • A guerra de território na cartografia digital: o peso pesado é o Google Maps, acompanhado por pequenos players como a Mapbox e Mapillary.
  • O 4º International Workshop on GeoInformation Science da ISPRS ocorrerá em Safranbolu, Turquia, a 14 e 15 de outubro. O workshop focar-se-á em modelação de dados espaciais multi-dimensionais e multi-escala. Submissões até 15 de julho.
  • A Mapillary hospedou um post de blog de Harriette Stone sobre métodos de levantamento pós-sismo. Enumera os prós e contras de recolha de dados com carros, a pé e com drones, e sugere como mitigar as limitações de cada método.
  • Viae Romanae Maiores – Tabula reticuli: principais vias do antigo império romano, visualizadas com estilo linha de metro.

Próximos eventos

Este semanárioOSM foi produzido por Anne Ghisla, Nakaner, Peda, Rogehm, Spec80, derFred, wambacher.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *